29/06/2017

Cresce número de estudantes que escolhem livro-reportagem para o TCC


Apesar das dificuldades, Trabalho de Conclusão de Curso ganha liberdade na criação, e abre caminhos para investigações e textos autorais

Por Dominique Tuane

Juntar a reportagem e o literário em um trabalho de fôlego é uma forma de poder fugir do padrão diário da cobertura factual. Por conta disso muitos jornalistas, já antigos na carreira, estão escrevendo os seus livros. E também a nova geração de repórteres investe nesta vertente, muitos ainda durante faculdade.

As ex-alunas da Faculdade Cásper Líbero, Ana Carolina Lazarini, Luiza Donatelli e Mariana Sicchi são autoras do livro “Entre Véus e Vozes”, abordando histórias de mulheres que moram no Brasil e usam o véu por causa da religião. Todas as dificuldades que passam com o preconceito, a luta pelo respeito e os desafios de conviver com pessoas que não as compreendem, estão nos relatos. O tema foi escolhido por própria curiosidade das três, que não sabiam muito sobre assunto. Decidiram que escrever um livro seria a melhor opção para não limitar o tema.

André Molina Carmona, formado pela Faculdade FIAM-FAAM é autor do livro “Nós Somos os MODS”, que fala sobre um estilo musical e comportamental da cena cultural britânica dos anos 60, também adotado por jovens no Brasil. Conta histórias de músicos, bandas, colecionadores e simpatizantes que aderiram à essa cultura e mostra que o conhecimento da música também conta uma história política, social e experiências de vida.

Os jovens jornalistas, desde o início, já tinham intenção de escrever um livro-reportagem para o trabalho final do curso, e nunca tiveram uma segunda opção em mente. Foi preciso em média um ano para a produção, com apoio dos seus orientadores e muita organização.


O 12º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo é uma realização da Abraji e da Universidade Anhembi Morumbi com o patrocínio de Google News Lab, Grupo Globo, Facebook Journalism Project, Mcdonald's, Estadão, Folha de S.Paulo, Gol, Itaú, Nexo Jornal, Twitter e UOL, e apoio da ABERT, ANJ, ANER, Comunique-se, BuzzFeed, Consulado dos Estados Unidos, ETCO, FAAP, Fórum de Direito de Acesso a Informações Públicas, Revista Piauí, Jornalistas & Cia., Knight Center for Journalism in the Americas, OBORÉ Projetos Especiais, Portal Imprensa, Textual e UNESCO. Desde sua 5ª edição, a cobertura oficial é realizada por estudantes do Repórter do Futuro, sob a orientação de coordenadores do Projeto e diretores da Abraji.

Um comentário: