30/06/2017

“O jornalismo está no DNA do Twitter”, afirma o diretor do microblog

Leonardo Stamillo apontou que soluções inovadoras e novas ferramentas têm sido desenvolvidas para auxiliar na distribuição de conteúdo online

Leonardo Stamillo (Twitter) fala sobre as novas ferramentas do microblog no jornalismo. Foto: Alice Vergueiro
Por Luan Ernesto Duarte

O Twitter tem expandido o acervo de suas ferramentas para jornalistas e oferecido orientação para grandes redações sobre gestão de conteúdo. Além de usada como “um gatinho de links”, a plataforma tem se mostrado também uma solução inovadora para divulgação de material. O assunto foi apresentado no stand do Twitter, nesta sexta-feira, 30, durante o 12° Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo.

Leonardo Stamillo, diretor editorial da plataforma, contou que o trabalho da empresa tem sido orientar os veículos jornalísticos no uso do microblog. O fluxo de informação é grande: são 500 milhões de tweets todos os dias.

“Se aplicarmos uma busca eficiente para obter uma determinada informação, essa nuvem ganha uma forma e começa a ter relevância dentro de uma redação”, explica Stamillo. O uso de filtros, segundo ele, é o caminho para obter conteúdo.

Uma das ferramentas recomendadas pelo Twitter é o Dataminr, um sistema que encontra histórias antes que elas viralizem pela rede. Essa dinâmica acontece a partir de uma análise do Twitter por ferramentas de filtragem e foi desenvolvida em parceria com a CNN.

Durante a oficina, Leonardo destacou também a importância do jornalista entender o comportamento do usuário dentro da plataforma e, assim, impulsionar um conteúdo na rede. De acordo com estudo feito pela empresa, os vídeos, por exemplo, são as mídias mais compartilhadas pelos usuários: seis vezes mais do que fotos e três vezes mais do que GIFs.

Moments

Outro instrumento inovador que pode auxiliar jornalistas é o Moments. A ferramenta de storytelling destaca as melhores histórias do Twitter, organiza os tweets em narrativas e aumenta a velocidade do conteúdo produzido pela redação. A curadoria é totalmente manual, sem uso de algoritmos. As histórias são atualizadas frequentemente assim que novas informações aparecem.

Como um tweet, um Moment pode ser compartilhado em qualquer lugar, com o link em um tweet, mensagem direta ou incorporado em outro lugar. A maior parte dos Moments é criada por um time exclusivo e produzidas por alguns parceiros como Buzzfeed, Estadão, Multishow, Rede Globo e Veja.

O 12º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo é uma realização da Abraji e da Universidade Anhembi Morumbi com o patrocínio de Google News Lab, Grupo Globo, Facebook Journalism Project, Mcdonald's, Estadão, Folha de S.Paulo, Gol, Itaú, Nexo Jornal, Twitter e UOL, e apoio da ABERT, ANJ, ANER, Comunique-se, BuzzFeed, Consulado dos Estados Unidos, ETCO, FAAP, Fórum de Direito de Acesso a Informações Públicas, Revista Piauí, Jornalistas & Cia., Knight Center for Journalism in the Americas, OBORÉ Projetos Especiais, Portal Imprensa, Textual e UNESCO. Desde sua 5ª edição, a cobertura oficial é realizada por estudantes do Repórter do Futuro, sob a orientação de coordenadores do Projeto e diretores da Abraji.

Nenhum comentário:

Postar um comentário