01/07/2017

Jornalistas contam detalhes sobre os bastidores das grandes reportagens que produziram

Trabalhos jornalísticos de fôlego e que tiveram grande impacto com o público foram destacados no 12º Congresso da Abraji

Em painel, jornalistas contam os bastidores de suas reportagens. Foto: Alice Vergueiro.
Por Pâmela Ellen

Neste sábado, 1, jornalistas de diferentes veículos de comunicação e diversas regiões do Brasil compartilharam com o público do 12º Congresso da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) os bastidores de grandes reportagens que fizeram.


Os trabalhos destacados na mesa “Mostre e conte: 1 reportagem, 10 minutos” ganharam destaque pelo trabalho intenso de apuração feito pelos repórteres e pelo impacto que tiveram com a audiência.

Conheça mais sobre algumas das reportagens apresentadas.

Revelação e ameaças

A denúncia feita pelo jornalista Yago Sales, do jornal Tribuna do Planalto, de Goiânia, na reportagem
Foragido da justiça, pastor explora usuários de drogas em recuperação”, resultou em ameaças ao repórter e suas fontes.

Na matéria, Sales revelou a exploração de dependentes químicos na venda de kits de balas em ônibus, para a Casa de Recuperação Instituto Resgatando Vidas, na capital goiana.

A apuração durou 4 meses e revelou que o pastor havia sido condenado a nove anos de prisão. No entanto, estava solto e mantinha um negócio lucrativo com o trabalho de semiescravidão dos internos da clínica de recuperação.

Ameaçado pelo pastor depois da publicação da reportagem, Sales viveu momentos apreensão. Após o jornalista registrar boletim de ocorrência na delegacia e buscar ajuda da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e da Abraji, o pastor foi encontrado e preso.

Mulheres no Esporte



Para a comemoração do Dia Internacional da Mulher, a jornalista Gabriela Ribeiro, do Globo Esporte, fez uma
reportagem sobre as mulheres que resistem no campo hostil do futebol. Jogadoras, torcedoras e bandeirinhas, as personagens entrevistadas deram depoimentos em vídeo sobre a violência física, sexual e emocional que sofrem na área esportiva.

A reportagem teve a colaboração de jornalistas do Globo Esporte em São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. “Recebemos tantas histórias que não couberam todas na matéria”, conta Ribeiro.

Segundo Gabriela, as personagens foram alvo de comentários raivosos nas redes sociais. Para proteger as fontes, a repórter e seu editor decidiram fechar a área de comentário na matéria.

MMA

Adriano Wilkson, jornalista de esportes do UOL, queria falar sobre os
métodos utilizados por lutadores de MMA, que visam chegar ao UFC, para perder peso antes de uma grande luta. Para isso, o repórter acompanhou de perto todo o processo de preparação física do lutador Acácio.

Wilkson relatou com detalhes a dieta radical que o lutador adotou para perder 16 Kg, além de outras técnicas controversas. O resultado é uma narrativa envolvente e de fácil leitura.

“Colocaram ele dentro do carro todo fechado e ligaram o ar quente para que pudesse suar e perder líquido. Eu fiquei com medo de acontecer algo sério”, contou o jornalista que disse ter sentido desconforto no momento.

A matéria teve tanta repercussão que Wilkson recebeu a proposta de transformá-la em um livro-reportagem, no qual está trabalhando no momento.

O 12º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo é uma realização da Abraji e da Universidade Anhembi Morumbi com o patrocínio de Google News Lab, Grupo Globo, Facebook Journalism Project, Mcdonald's, Estadão, Folha de S.Paulo, Gol, Itaú, Nexo Jornal, Twitter e UOL, e apoio da ABERT, ANJ, ANER, Comunique-se, BuzzFeed, Consulado dos Estados Unidos, ETCO, FAAP, Fórum de Direito de Acesso a Informações Públicas, Revista Piauí, Jornalistas & Cia., Knight Center for Journalism in the Americas, OBORÉ Projetos Especiais, Portal Imprensa, Textual e UNESCO. Desde sua 5ª edição, a cobertura oficial é realizada por estudantes do Repórter do Futuro, sob a orientação de coordenadores do Projeto e diretores da Abraji.

Nenhum comentário:

Postar um comentário